O Senhor da Calunga… O que é a morte no mistério de Pai Omulú?

QUEM SÃO AS ENTIDADES DE UMBANDA? ENTENDA

Nascer é morrer. Nascer pra esse mundo é morrer para o mundo espiritual, então quando você vem à luz, está fazendo uma passagem na força de Obaluaiê. O momento que você termina uma história no astral pra começar uma história neste plano, você está evocando o mistério e a força de Omulú.

Pai Alexandre Cumino, no estudo Orixás na Umbanda

Omulú na Mitologia

Segundo narra o mito ‘Omulu ganha as pérolas de Iemanjá’ presente no livro Mitologia dos Orixás, de Reginaldo Prandi, o Orixá que é filho de Nanã Burucu, possui espalhado pelo corpo muitas feridas e chagas, essa aparência chocou sua mãe ao se deparar com o corpo do filho coberto pela doença, levando-a abandona-lo em uma gruta. Após isso, Omulú é encontrado por Iemanjá, que seca suas feridas com a água salgada do mar e enche-o de cuidados.

Omulu tornou-se um homem vigoroso, mas ainda carregava as cicatrizes, as marcas feias da varíola.

Mitologia dos Orixás, Reginaldo Prandi

Essa visão mitológica, retrata um pouco da origem cultural de Pai Omulú, os Mitos como já explicamos aqui no blog são uma ilustração de tudo o que se relaciona com os mistérios divinos e também uma forma de perpetuar o ensino de cada um deles. Por isso, além do seu valor como expressão cultural de determinado segmento social, os mitos também carregam ensinamentos que competem situações da vida real.

Entretanto, isolados eles não respondem a todas as indagações sobre a atuação dos Orixás, além do mais, para interpreta-los é preciso ter um aprofundamento maior nos modos de vida, costumes, realidade social dentre outros aspectos dos segmento ao qual ele se refere.

Então ficamos ainda com a pergunta: Quem é o Orixá Omulú?

QUEM SÃO AS ENTIDADES DE UMBANDA? ENTENDA
Na Ciência Divina de Umbanda

Leitor, seu modo de conceber e se relacionar com Pai Omulú pode ser diferente do que o exposto a seguir e nós da plataforma Umbanda EAD, respeitamos todas as formas de se relacionar com os divinos Orixás, portanto o que deixamos aqui, é um dos modos de se perceber e se relacionar com essa divindade que está fincado nos estudos de Pai Rubens Saraceni.

Assentado na onda divina da criatividade e geração, ao qual entendemos como a sétima linha de Umbanda Sagrada, Omulú corresponde ao fator paralisador e faz par com Mãe Iemanjá nessa onda divina.

Omulú é a Terra, e Iemanjá a Água. Poderíamos pensar esses dois Orixás como opostos, mas se levarmos em consideração nosso ciclo vital, entendemos que na verdade, eles se complementam.

A morte, que dá lugar a uma nova forma de vida, que desliga uma realidade para que outra se inaugure, que nos coloca perante aos nossos medos e inseguranças é aquela que também faz parte de um ciclo da nossa vida e por sua vez, é o mistério regido por Pai Omulú.

Assim como se processam todas nossas ações aqui na terra, também se dá a regência desse Orixá. Uma fase precisa terminar para que uma nova faça surgir, uma etapa precisa ser concluída para que outra seja alcançada. Pai Omulú traz o assombro da morte para alguns (o que é natural), mas podemos dizer que ele também traz a incerteza do novo, do desconhecido e também, por essa razão, é tão temido.

Seu magnetismo está presente em todos os sentidos da vida, ou seja, para cada indivíduo que não esteja caminhando para uma vida harmoniosa consigo e com os demais, o Orixá vai agir paralisando seus sentidos e esgotando esses sentimentos e isso vai se proceder em todos os mistérios, fé, amor, lei e etc.

Se Iemanjá gera a vida Omolú é responsável pelo fim, o término. Em muitos terreiros Omulú é cultuado junto com Obaluaê como se fosse o mesmo, não importa se você cultua separado ou junto, são dois mistérios muitos entrelaçados porque Obaluaê é a passagem, Omolu é a morte.

Pai Alexandre Cumino, no estudo Orixás na Umbanda

Por essa regência o cruzeiro das almas é onde seu magnetismo vibra com mais intensidade. Pai Alexandre Cumino explica também que “todo cemitério tem um cruzeiro, o lado direito do cruzeiro pertence a Obaluaê e o lado esquerdo pertence a Omulú, não que ele seja o Orixá da esquerda, mas energeticamente Obaluaê está na direita (universal/agregador) e Omolú na esquerda (retificador/paralisador)”.

QUEM SÃO AS ENTIDADES DE UMBANDA? ENTENDA

 

Por isso – dentro do que propomos estudar nesse texto – diferente de Pai Obaluaiê que rege o mistério da transmutação, Omulú é o Senhor do Fim, Senhor da Morte e por debaixo de sua palha o que se revela é um esqueleto. Ele é o Guardião do Campo Santo, dos Espíritos Caídos e do Povo da Calunga.

Desta forma, entendemos também que Pai Omulú é o Orixá da morte em seu sentido mais profundo, que está difundido na ideia e no conceito de término, de fim e de paralisar os desvios, dando passagem para que o novo (Iemanjá) possa se cumprir.

Fique tranquilo irmão, se você trabalhar com Omulú, sua vida NÃO será submersa em mal agouros, nem em doenças e muito menos em desgraças. Pai Rodrigo Queiroz deixa isso claro em uma de suas transmissões ao vivo via facebook cujo tema era o dia de finados, “a forma que você trabalha com Omulú é o que você terá dele, assim como acontece com os outros Orixás”.

Por isso nesse 2 de Novembro vamos saudar nossos Antepassados, as Santas Almas e a regência de Pai Omulú em nossas vidas!!!

Atotô Meu Pai! Salve o Povo da Calunga! Salve o Cruzeiro das Almas!! Salve nosso Pai Omulú, Senhor dos Términos!! 

 


 

Texto:

Júlia Pereira

 

Imagem:

Ricardo Chucky

Artigos Relacionados:

Dia das Bruxas, Dia de Todos os Santos e Finados. Qual a origem e como se manifestam na Umbanda?

Estudos com inscrições abertas pelo
umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777
obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do estudo e/ou produto
Pedimos para que os irmãos que desejem compartillhar os textos desse blog creditem a fonte lincando para o nosso endereço.
Informação da fonte!

3 comentários

  1. Na casa onde frequentou a nossa dirigente do que não podemos ir ao campo santo podemos trazer conosco espíritos perturbadores. Mas teimo sempre com ela e digo como assim se vamos com respeito, carinho rezando cantando ponto sempre pesso proteção e sempre fui e vou pois é a última mirada do meu corpo. E tenho certeza que nunca voltei de lá com nenhum mal. Mas sim com a sensação de paz e harmonia com meu coração. Acho que estou certa ou será que estou errada. Abraços de luz.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s