Bruxas, Magos e Feiticeiros: Qual a Diferença?

As lendas, histórias e mitos do Velho Mundo são grandes fontes de inspiração para produções cinematográficas sobre pessoas com poderes de magia, capazes de modificar uma realidade tanto para o bem, como para o mal.

Tá eu sei, eu sei, que quando eu falo Bruxo, depois de dezembro de 2019 automaticamente já vem essa imagem na sua cabeça:

Te entendo, porque olha não é pra menos… rs

Mas você pode tá agora muito bravo(a) porque eu coloquei o Geralt de Rívial, de The Witcher ao invés desse queridinho aqui:

Ok, Ok, mas a verdade mesmo, é que o dono dos nossos corações é esse cara:

Enfim, essas figuras que inspiram personagens marcantes, são conhecidas como bruxas, magos, feiticeiros e outras inúmeras denominações.

Mas, antes de explicar sobre o significado e a diferença entre esses nomes e suas “funções”, vou fazer um breve apanhado sobre a importância dessas pessoas nas tradições antigas.

Convido você leitor, ouvir essa playlist (https://www.youtube.com/watch?v=oiqciak0L7E) para ler este texto! Bora?

Quem Faz Magia é um Escolhido?

O praticante de magia é iniciado, ou seja, apresentado, orientado e por sua vez tem a outorga para se realizar magias.

Pai Alexandre Cumino explica no estudo Iniciação à Magia – A Arte Real que existem dois tipos de iniciações: a “de origem” e a pelo “meio”.

Iniciado na Origem

Basicamente, a primeira diz sobre aqueles que “nascem iniciados”, ou seja, aqueles que detém em sua ancestralidade um lastro na magia.

Pode ser porque foi em outra vida um mago ou porque vai desenvolver um trabalho missionário. Mas, calma pessoal, isso é bem difícil de acontecer, entendemos essas pessoas como a figura dos grandes avatares. Jesus Cristo, é um exemplo desses magos de origem. Diversas são as passagens de sua vida que são narradas como rituais de magia, mesmo que evocando metáforas, como é Transubstanciação do pão em corpo e vinho em sangue.

Iniciado pelo Meio

A outra forma de se iniciar na magia é pelo mérito, ou seja, pelo estudo dedicado e guiado por um já iniciado. Este mestre magista irá te dar a outorga para a entrada nesse universo da manipulação de energias e seres espirituais. Esse mestre, no caso de quem é médium, pode ser um espírito, como é o caso do Mestre Seiman Hamiser Yê que trouxe para Rubens Saraceni a Ciência da Magia Divina.

A iniciação de forma esotérica, acontece de forma fechada e poucos são aqueles que têm o merecimento de se iniciar. Dai a ideia de ocultismo, conhecimento fechado, privado e sagrado.

Já aquele conhecimento que é aberto e possível a todos, é chamado de exotérico. É o conjunto de saberes entregues ao povo por meio das religiões. Normalmente seguindo os dogmas e tabus daquela sociedade, e servindo aos interesses privados dos líderes religiosos.

Dei um pincelada em todo o conceito de iniciação que é algo forte e muito presente na maiorias das religiões, crenças e tradições, para pode falar um pouco da diferença entre bruxas, magos e feiticeiros.

“Os cientistas de hoje poderiam ter sido considerados feiticeiros séculos atrás.”

The World of Wizards

Leia também Magia vs Fantasia

Bruxas, Magos e Feiticeiros: Qual a Diferença?

Recorri ao estudo Iniciação à Magia – A Arte Real, onde Pai Alexandre Cumino explica sobre essas designações e também consultei a obra de Oberon Zell-Ravenheart, Grimório para o Aprendiz de Feiticeiro que tem uma parte para descrever a significado dos praticantes de magia em diversos povos e culturas.

Feiticeiro

Para o Grimório do Aprendiz de Feiticeiro, seria o praticante de magia, muitas vezes, de forma solitária. Também conhecido pela busca por formas de magia secretas e perdidas. Um dos feiticeiros mais conhecidos é o Mago Merlim, figura mítica do ciclo arturiano.

Pai Alexandre Cumino apresenta uma outra interpretação dessa palavra, explicando que feiticeiro seria aquele que segue um receituário e somente assim, realiza a magia. Ele não cria magias, mas sabe coloca-las em prática!

Mago

Mago ou Magus vem de Magui, que na cultura persa significa sábio, grande e respeitado. Os magos são considerados os mestres das artes mágicas e criador de rituais e magias poderosas.

Bruxas e Bruxos

Aqueles que detém naturalmente algo que podemos chamar de dom, sensibilidade ou abertura para magias, principalmente as naturais, ligadas aos ciclos das natureza.

Benzedores, rezadeiras e curandeiros eram considerados bruxos (as) na Idade Média e eram chamados de wicce, palavra anglo saxônica que significa “aquela que dá forma”.

Muitos bruxos(as) também praticam a adivinhação.

Alquimista

Na busca pela pedra filosofal que transformaria metais básicos em ouro, alquimistas fundiram o que chamamos de química hoje, filosofia e misticismo.

O Elixir da Vida também era uma das grandes ambições desses magos, que tinham como objetivo atingir a imortalidade.

O alquimista pode ser entendido como aquele que faz diversas experimentações utilizando-se de forças ocultas e conhecimentos mágicos.

Leitor(a), é possível que uma só pessoa possua várias das qualidades descritas acima.

E está tudo certo!

O mais importante é você sentir seu eu, e saber se algo ai dentro, no seu íntimo, não guarda um “chamado”, uma curiosidade ou uma ancestralidade no que nós entendemos por magia.

Se você é umbandista, pronto, é mago macumbeiro por consequência rs e é sobre esse universo incrível e revelador que nós tratamos no estudo INICIAÇÃO À MAGIA A ARTE REAL com os Mestres Alexandre Cumino e Rodrigo Queiroz.

Clique aqui e saiba mais!

Grande Axé, indique o blog para algum amigo e comente o que achou desse artigo.

Salve os Magos(as) Mestres de Umbanda!

Texto: Júlia Pereira

Imagem:
Reprodução Netflix/ Google

Júlia Pereira

Acredito no poder da sabedoria ancestral da contação de histórias, como forma de cura, acolhimento e força. • Jornalista • Estrategista e Copywriter • Pós-graduada em Marketing, Branding e Growth • Estudante da EAD Ubuntu.

Assine
nossa news

Ao se inscrever, você concorda que a Umbanda EAD poderá te enviar emails. Você pode se descadastrar a qualquer momento. Política de Privacidade