103 anos de Dorival Caymmi – a musicalidade brasileira que saúda os Orixás!

Hoje o cantor, compositor, pintor e ator brasileiro Dorival Caymmi faria 103 anos. De voz inconfundível, o filho do descendente italiano Dorival Henrique Caymmi e da mestiça de africano com português Stella Maris foi (e ainda é) uma das vozes mais influentes no país.

Inspirado na cultura baiana, mais precisamente no que diz respeito a afro-brasileiridade presença forte nos costumes baianos, Caymmi traz para o cenário da música popular brasileira a comida, a reza, a roupa, as divindades, o ritmo e o canto dos ilês e se destaca pela melodia cadenciada, comovente e emocionante de suas composições.

Caymmi era filho de santo de Mãe Menininha de Gantois, ialorixá do terreiro baiano descendente da Casa Branca do Engenho Velho – considerada a primeira casa de Candomblé da Bahia.

Sua relação com a religiosidade afro-brasileira era tão forte que a fé o inspirou a diversas obras, dentre elas a “Oração de Mãe Menininha“, “Dois de Fevereiro”, “A lenda do Abaeté”, “Adalgisa” sem contar as pinturas e projetos que desenvolvia junto dos amigos e irmãos de fé Jorge Amado e Carybé.

No Gantois Caymmi exercia a função de Obá de Xangô, título honorífico do Candomblé criado no Axé Opó Afonjá por Mãe Aninha em 1936, esses títulos são concedidos aos amigos e protetores do Terreiro, e para cada um deles é incumbido uma função.

Em Bahia de Todos os Santos, Jorge Amado fala sobre a criação de Caymmi dizendo que “toda a obra musical de Caymmi nutre-se de um conhecimento total da vida popular, conhecimento vivido, pois o poeta não é senão o povo no momento supremo da criação.”

Continuando o capítulo dedicado a Caymmi, Amado ainda afirma:

 

“Os orixás da Bahia possuem seus favoritos, para eles reservam o dom da criação e a grandeza. Assim aconteceu com o moço Dorival Caymmi. Os orixás cumularam de talento e dignidade esse filho da grande mistura de raças que nas terras brasileiras se processou e se processa, criando uma cultura e uma civilização mestiças que são a nossa contribuição ao tesouro do humanismo.”

Jorge Amado em Bahia de Todos os Santos

 


 

Fontes de Pesquisa:
Bahia de Todos os Santos, Companhia das Letras, Jorge Amado.  
Wikipédia
Youtube
Museu Afro
 
Imagem: jobim.org

BLOG_LOGO_00000

Cursos com inscrições abertas pelo
http://www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777
obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto
Pedimos para que os irmãos que desejem compartillhar os textos desse blog creditem a fonte lincando para o nosso endereço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s