Ministro do STF receberá Dr. Hedio Silva Jr em audiência em prol da liberdade plena dos cultos afro-brasileiros
7 de março de 2017
O DESEJO EM VIVER E O AXÉ DA ORIXÁ POMBAGIRA #laroiê
9 de março de 2017
Exibir tudo

Por que comemoramos o dia internacional da mulher?

Nesse 8 de Março o Blog vai falar sobre a história por trás da bandeira que o Dia Internacional da Mulher hasteia. 

A data “começa a ser criada” em meados de 1800 quando constantes reivindicações partidas do movimento operário feminino, sufragista (direito ao voto) e feminista emergiam na sociedade e faziam-se ver por entre os protestos e greves em prol de melhores condições de trabalho e vida da mulher.

Esses acontecimentos estão vindo à tona mundo todo, mas ganham destaque nas manifestações promovidas na Europa e Estados Unidos onde as greves duravam mais de ano e chegavam a fechar as portas de fábricas da época.

Em Maio de 1908 celebra-se nos EUA o primeiro Dia Nacional da Mulher que visa comemorar o engajamento de 1500 mulheres na luta em prol da igualdade econômica e política no país.

Após isso e nesta mesma onda, o Partido Socialista dos EUA estipula o 28 de Fevereiro como a data oficial da comemoração e reúne mais de 3 mil pessoas em protesto que mais tarde se tornou a greve têxtil, na ocasião mais de 500 fábricas americanas foram fechadas.

Em 1910 a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca traz uma resolução aprovada por representantes de 17 países, onde estipula uma data anual para se destacar e promover as lutas femininas.  Nessa época os ideias de empoderamento feminino começam a se intensificar e em 1911 um incêndio proveniente da má conservação do prédio e péssima condições de segurança, mata mais de 130 grevistas que se concentravam em uma fábrica tecelã em Nova Iorque.

Algumas versões do caso atribuem o incêndio aos donos da empresa e apontam que os grevistas (maioria mulheres) foram trancados no prédio que posteriormente foi ateado fogo. Independente das especulações o ocorrido é um marco nas investidas feministas da época e segue-se da eclosão de protestos no período da Primeira Guerra Mundial.

Esses acontecimentos ainda não tinham definido uma data oficial para a comemoração do dia da mulher e em 1917 surge então o 8 de Março em um protesto que reuniu 90 mil operárias contra o imperador da Rússia, Czar Nicolau II. Czar é acusado de negligenciar as más condições de trabalho e a fome de milhares na participação na primeira guerra. O protesto ficou conhecido como “Pão e Paz” e marcou a data em que comemora-se até hoje o Dia Internacional das Mulheres.

A data então não simboliza apenas um acontecimento ou pessoa, mas faz parte de um conjunto de reivindicações e lutas feministas que propunham e ainda propõe a igualdade de oportunidade entre homens e mulheres.

 

Leia também: Empoderamento feminino na figura de Pombagira

 

Em 1977 a Organização das Nações Unidas – ONU reconhece o 8 de Março com a data símbolo desses ideais e passa a inserir em sua agenda de ações políticas, medidas de defesa e conquista de direitos à mulheres do mundo todo. Hoje a organização junto do Pacto Global também disseminam os 7 Princípios de Empoderamento das Mulheres que visa a equidade de gênero no ambiente empresarial.

Portanto o 8 de Março nada tem a ver com as campanhas publicitárias que distribuem flores e trazem um ar romântico para a data. É um dia a se lembrar sim, pois a luta não acabou e muito tem a se fazer e conquistar quando falamos de direitos das mulheres, entretanto é preciso que se dê o devido e histórico valor a data.

É preciso que nos lembremos de todas mulheres que abdicaram de seus lares, família e vida para se erguer em prol do direito ao voto, a carreira, a participação ativa na política, a educação e tantas outras conquistas ao qual gozamos com naturalidade hoje e que se assim são é porque um dia milhares se levantaram para garanti-lo.

 

Texto:

Júlia Pereira

Fontes: 

Nova Escola

Planeta Sustentável

Imagem: Retirada da Internet

2 Comentários

  1. Kelly disse:

    Por isso amo a Umbanda EAD e todos os seus artigos e cursos. A matéria dá o tom sério e verdadeiro ao que este dia representa. Muito obrigada por permitirem que consigamos tantos ensinamentos e fundamentos sobre os temas abordados. Tudo que leio aqui tem base, informação, fonte e história e a seriedade com que tratam os assuntos e nossa Umbanda torna essa plataforma minha representante dentro da religião. Axé a todos.

  2. Umbanda EAD disse:

    Bom dia Kelly!! Que bom ler tudo isso. Gratidão pelo feedback e por fazer parte da Umbanda EAD. Muito axé!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Ei!🖐🏽
Continue em contato  
Receba com exclusividade infos sobre Umbanda
Escolha fazer parte do grupo de leitores e descadastre-se quando quiser. Axé!
close-link