Forfun agora é Braza e saúda Oxalá em clipe de álbum homônimo

O álbum lançado em Março deste ano ganhou seu primeiro clipe em Maio (Embrasa) e agora em Setembro lançou a produção para a música Oxalásubi a escadaria para me benzer
e pedi ajuda para Oxalá..” que traz para o videoclipe todos os elementos da religiosidade afro-brasileira, onde podemos localizar a presença da Umbanda em seus elementos mais particulares, como a imagem de Iemanjá de braços abertos.

Vitor, Nicolas e Danilo formadores da antiga banda Forfun se despediram de um dos integrantes e agora trazem uma outra proposta musical que tende ao reggae e rap. O álbum homônimo então, vem para trazer esse ritmo aos fãs do grupo e de quebra também traz a representação das religiões afro-brasileiras dentro do cenário musical atual.

Assista:

 

Oxalá

Subi a escadaria para me benzer
E pedi ajuda para Oxalá
Consultei os astros para entender
Lua cheia, eu me batizei no mar

Habeas Corpus moral, apneia mental
Imperativo espiritual
O fogo queima, o coral corta
Se não há risco a criatura é morta
Só você pode se conhecer
Seu equilíbrio, sua verdade
Se aquele instinto é uma necessidade
E a trindade nesse trinômio:
Você, seus anjos e seus demônios

Subi a escadaria para me benzer
E pedi ajuda para Oxalá
Consultei os astros para entender
Lua cheia, eu me batizei no mar

O que eu estou fazendo da minha vida?

O que eu estou fazendo da minha vida?
Lambendo a carne viva com o dedo na ferida
Brindando a existência e aprendendo a distinguir
A hora de refrear, a hora de transgredir
Chorando minhas dores, moldando meus valores
Tacou pedra, finto a pedra. Tacou flores, voltam flores
É uma linha tênue, é menos que um semitom
Quando o bom não é o certo, quando o certo não é bom

Subi a escadaria para me benzer
E pedi ajuda para Oxalá
Consultei os astros para entender
Lua cheia, eu me batizei no mar

Ah minha vida toda! Um ato de desapego
Do corpo, do casamento, do parente, do emprego
Fé é confiança, no que quer que se invista
Tem fé o ateu, tem fé o cientista
Me curvo humildemente ante aquilo que não sei
Acredito no Amor, ganho o jogo no fair play
Só não espero a providência pra encontrar a minha essência
Pois não há um salvador que nos tire essa incumbência

Subi a escadaria para me benzer
E pedi ajuda para Oxalá
Consultei os astros para entender
Lua cheia, eu me batizei no mar

 

 

Texto: Júlia Pereira

Imagem: youtube

 

BLOG_LOGO_00000

Cursos com inscrições abertas pelo
http://www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777
obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s