O empoderamento feminino na figura de Pombagira

Para quem desconhece sobre esse tema, a palavra Pombagira, pode trazer estranhamento e um conceito pré concebido de algo ruim, beirando a promiscuidade.

Um dos motivos dessa associação negativa está na vasta propagação que algumas instituições religiosas insistem em sedimentar a ela. À Pombagira reservou-se uma imagem pejorativa, ligada a sexualidade desenfreada, libertinagem e trabalhos negativos, como amarrações de amor.

Mas, quem é Pombagira?

A popularização da entidade acontece em meados dos anos 60 quando a mais forte representação do empoderamento feminino, toma forma dentro da Umbanda e de centros espiritualistas – principalmente os de matriz africana – revelando-se então,  a linha das guardiãs. Nesse momento surge a figura das Pombagiras que de início incorporavam predominantemente em mulheres e mais tarde começaram a se manifestar também em homens.

As sessões ou giras dessas entidades eram feitas de maneira restrita, a fim de não atingir a concepção de “moral e bons costumes” da sociedade da época.

Pedidos de ajuda em relacionamentos

As “moças” acabam se tornando especialistas em resolver questões ligadas a problemas amorosos e isso aconteceu devido a maior liberdade que dispunham ao tratar desses aspectos; evitando hipocrisia e “tocando na ferida”.

Rubens Saraceni argumenta isso no livro Orixá PombaGira, “assim Pombagira tornou-se a ouvinte e conselheira de muitas pessoas com problemas nos seus relacionamentos amorosos, procurando atender à maioria das solicitações, fixando em definitivo um arquétipo poderoso e acessível a todas as classes sociais“.

Ele também continua dizendo que as “mulheres da rua” atuam esgotando o íntimo de pessoas que estejam em desequilíbrio emocional ou conscienciais, obedecendo a uma de suas funções na criação.

Por que PombaGira é fortemente associada a prostituta?

Pai Rodrigo Queiroz, pontua sobre essa questão em texto psicografado (indicamos a leitura): Linha e Arquétipo das Guardiãs Pombagiras. A seguir colocamos um trecho do diálogo >>

– É certo que existem algumas Pombagiras que foram prostitutas e marginais?

– Sim é certo, como também existem Exus que foram a pior espécie de homens, porém, isto é um caso à parte. O que fomos pouco importa, pois no geral, como todos os encarnados, somos espíritos humanos que sofreram sua queda e já lúcidos retomamos nosso caminho de evolução, assumindo um grau e campo de atuação sob regência dos Orixás e guardando à esquerda dos encarnados.

Não há uma receita para saber quem realmente foi Maria Padilha, Mulambo, Sete Saias ou qualquer que seja sua designação, mas o que entendemos é que seu arquétipo e o que ela representa tem muito a nos ensinar.

Alexandre Cumino aborda essa questão no curso Pomba Gira e Exu Mirim “então tem muita coisa por trás disso, do que apenas um espírito humano trabalhando. É isso que nos interessa abordar nesse curso, o reconhecimento de que somos humanos e que erramos. Lidar com espíritos que nos chegam assumindo os próprios erros, se mostrando como são e trazendo verdades e conceitos bem próximos da nossa realidade material, fascina, encanta, assusta? Sim, mas há uma outra questão importante: os tornam muito próximos de nós no dia a dia.” argumenta.

We Can do It!

Pombagira vem para ensinar a mulher que sua força não deve ser ridicularizada, minimizada e muito menos vulgarizada. Ela é o encanto e a sensualidade natural da mulher, a essência do feminino. Foge dos padrões que impõe a sociedade e do papel que é reservado a mulher, o de mãe, dona de casa e submissa.

Vale ressaltar que ser mãe e dona de casa não é sinônimo de submissão, na verdade a maioria delas são grandes mulheres que carregam sozinhas essas responsabilidades, no entanto o que destacamos é imposição de funções e modos de ser que acomete mulheres em todos os nichos sociais.

Pombagira tem voz, é um corpo (arquétipo) político e uma alma cheia de arte, intelecto e religiosidade. Rubens Saraceni faz uma importante consideração no livro Orixá PombaGira, “é claro que uma mulher altiva, senhora de si, segura, competentíssima no seu campo de atuação.. impressiona positivamente alguns e assusta outros.”

Ela vem para por em cheque os privilégios da sociedade patriarcal, assiste de perto a revolução feminista e traz significados e interpretações em todas as suas formas de se apresentar. Pai Alexandre Cumino também fala sobre esse aspecto no curso supracitado muitas, muitas e muitas mulheres sentiram na pele a dor de uma sociedade sufocando a sua voz, podando a sua liberdade e tornando-a presa a valores, muitas vezes hipócritas. Essa mulher encontrou em Pombagira uma força, uma dignidade para caminhar de cabeça erguida, força para vencer, para lutar; por isso Pomba-Gira assusta. Assim como mulheres independentes, mulheres que não tem medo, que assumiram as suas verdades perante essas questões assustam aqueles que ainda são machistas e hipócritas. Se assustam então, com uma mulher que caminha de cabeça erguida

Salve nossas Guardiãs! Salve as Moças!! Laroiê Pombagiras!! 

No mês de março, em comemoração ao dia internacional da mulher a plataforma abre inscrições para o curso que trata exatamente da questão do sagrado feminino na figura de pombagira. Acesse o link >> https://umbandaead.com.br/pombagira << e saiba mais.

 

 

Texto: Júlia Pereira

Fontes de Pesquisa:

Livro Orixá PombaGira, Rubens Saraceni

Curso Pombagira e Exu Mirim, plataforma Umbanda EAD

BLOG_LOGO_00000

Cursos com inscrições abertas pelo
http://www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777
obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto

4 comentários

  1. Queria muito estudar a nivel de mestrado a construção da imagem da pombagira. Meu objetivo inicial era conhecer a biografia de algumas pombagiras que estiveram no Brasil em período encarnado e quando morreram viraram as pombagiras como as conhjecemos. Entender como elas se transformaram em pombagiras. Não consegui encontrar ainda nenhuma referência. Porque a gente tem fé e ama as moças e os moços mais não tem muitas informações como tem dos pretos velhos, por exemplo… ou tem dos orixás.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s