Tem Umbandista morando no exterior ai?

O que mais encanta no estudo e nos meios de comunicação é a relação de tempo e espaço que eles trazem consigo. A possibilidade de estar em vários lugares simultaneamente, mesmo que esteja fisicamente em apenas um, é algo indescritível.

Todas essas possibilidades nos permitem estar aqui hoje mantendo a relação entre leitor e informação, e também de umbandista pra umbandista; isso é apenas a mais simples das manifestações que comunicação traz consigo.

A matéria de hoje é exatamente sobre essa temática: o estreitamento entre as fronteiras geográficas e as experiências religiosas no espaço virtual. Para isso entrevistamos dois alunos aqui do Umbanda EAD que vivem a Umbanda (cada um a sua forma) e residem fora do Brasil.

Do Golfo Pérsico para a Umbanda :O

Renata Stec, (59), é brasileira, dona de casa, mora fora do país há 32 anos e há 14 anos reside no Oriente Médio. A história da Renata revela um intercâmbio cultural bem diferente, mesmo sem ter uma religião “de berço” e morando a tanto tempo fora do país, ou seja, com pouco contato com o que se relaciona com as religiões de solo brasileiro, ela não deixou de nutrir encanto pelas religiões espiritualistas presentes aqui e mais posteriormente pela Umbanda.

“Embora eu tenha sido batizada na Igreja Católica Romana, religião nenhuma fez parte do dia- a-dia da minha família. Não rezávamos, não íamos à missa, não tínhamos imagens em casa. Casei somente no civil e meu marido foi batizado na Igreja Russo-Ortodoxa e também não teve formação religiosa” revela Renata.

Em entrevista Renata salienta que no Oriente Médio a religião predominante é o Islã, mas mesmo com isso, em Bahrain – país em que vive –  é possível encontrar outras manifestações religiosas “de todos os países do Golfo Árabe, Bahrain é o mais tolerante e aberto a outras culturas. Aqui há três igrejas católicas, uma sinagoga, e vários templos hindus (um terço da população é de trabalhadores temporários – visto de trabalho – Indianos), nenhum dos quais eu visitei.”

Mas, ela também afirma que para o Islã os espíritos de quem já morreu permanecem no túmulo esperando pelo julgamento final, e sendo assim, a ideia de se relacionar com esses espíritos e reencarnação não é aceita. “Eles acreditam que existam “jinns”, criados antes dos humanos, espíritos maldosos como o diabo do cristianismo e, portanto, se alguém incorporar um espírito, certamente estará “possuído pelo demônio” explica.

Conexão Portugal x Brasil

Nosso outro entrevistado é o André H. Pereira Leiria, (31), psicólogo, confeiteiro, aluno do Umbanda EAD e português nascido em Lisboa.

André também nos contou um pouco sobre o seu contato com a Umbanda, “Desde miúdo eu tinha contato com o espiritismo. Já adulto comecei a sentir que não me enquadrava em algumas formas de pensar por parte dos grupos espíritas que conhecia e decidi afastar-me um pouco para assentar ideias”. Ele explica que em 2009 quando entrou em um terreiro de Umbanda, foi amor à primeira vista, “desde o som dos atabaques, aos cheiros, à vibração… tudo fazia sentido!”.

Perguntamos à ele sobre as características mais marcantes que diferem a Umbanda vivida aqui no Brasil da dos terreiros de Portugal. Ele respondeu dizendo que mesmo estando em Portugal, o modelo estruturante de funcionamento das religiões afro é o mesmo “são muito visíveis nos terreiros por Portugal os códigos, linguagem e símbolos, vivos da cultura brasileira”, completa.

André falou também sobre a pertinência do estudo da religião via plataforma on line. “Descobrir a plataforma foi uma lufada de ar fresco.. tem ajudado muito a crescer não só como médium umbandista, mas também como pessoa”. Ele também diz que existem muitas pessoas que vivem a Umbanda em Portugal inclusive ele pertence a um terreiro lusitano onde desenvolve seus estudos e vivência mediúnica.

Essa é a realidade do André, mas voltando pra nossa primeira entrevistada, a Renata, que mora lá no Golfo Pérsico…encontramos outra realidade.

A Renata, nos contou que seu primeiro contato com a Umbanda foi por meio de uma amiga, umbandista e também brasileira que morava em Bahrain. Essa amiga acabou se mudando do país e ela foi perdeu o contato com as informações sobre a religião, e foi então que começou a busca por conteúdo em livros e na internet. “Cheguei a ler alguns artigos online, muitos com informações conflitantes, o que me deixou bastante confusa. Em janeiro de 2016, encontrei o curso do Umbanda EAD, através de uma vídeo-aula de Alexandre Cumino no Youtube. Assisti a aula, fiquei interessada e fiz a inscrição no curso.”

Umbanda Viva

A Renata e o André são alguns dos exemplos dessa Umbanda que está viva além das fronteiras e que busca alternativas de continuar viva. Da entrevista da Renata destacamos algo que nós sabemos bem por aqui.. “A Umbanda é uma religião fascinante!“, do André trazemos uma indagação a se pensar sobre o intercâmbio cultural que acontece quando umbandistas e não umbandistas de diversas regiões do mundo se encontram no mundo virtual “desde que seja um intercâmbio baseado no respeito mútuo e sempre focando o objectivo principal que é a troca de conhecimentos e experiências, vejo sempre como uma mais valia e uma oportunidade, de grande valor para todos.”

Agradecemos em especial aos dois alunos que dispuseram de tempo e empenho para nos contar um pouco de suas histórias e a todos os outros que moram fora do Brasil e continuam se relacionando e trocando experiências conosco. Axé irmãos!

Texto e entrevista: Júlia Pereira

 Imagem: Arquivo ICA

 

 

BLOG_LOGO_00000
Cursos com inscrições abertas pelo
www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777

obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto

10 comentários em “Tem Umbandista morando no exterior ai?

    1. Tem sim. No Brasil eu era Cambone no NEL Pena Branca, bairro Aricanduva. Mudei-me para Londres e aqui me tornei médium de toco no Pai Maneco Londres UK. Fiz 6 meses de curso EAD da Teologia de Umbanda Sagrada e agora o atual curso sobre Exú. Sou muito grata ao Mestre Alexandre Cumino pela oportunidade de expandir meus conhecimentos na Umbanda através de suas publicações on line e cursos EAD. SARAVÁ! Grande abraço, Silmara Bertaglia.

      Curtir

  1. sou umbandista e moro no Oriente Médio tmb. Gostaria de saber se as devoções e rituais praticados por mim aqui no outro lado do mundo surtem efeitos? mesmo estando tao longe da nossa terra brasilis?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s