Oxóssi desobedece a Obatalá e não consegue mais caçar
17 de janeiro de 2016
Levante-se para o enfrentamento!
21 de janeiro de 2016
Exibir tudo

Ogã tem mediunidade?

De início já adiantamos que o Ogã tem mediunidade sim e pode até incorporar!

A mediunidade do Ogã está relacionada aos seu potencial de canto, toque ou dos dois juntos. A ela refere-se como “Dom Musical” e classifica-se como Mediunidade de Lucidez Artística Musicista.

Este tipo de mediunidade age de acordo com dois chakras: branquial e laríngeo, que corresponde a mãos e braços e pregas vocais dos ogãs, denominando-os assim, Ogãs-de-Couro e Ogãs-de-Canto.

Quando uma pessoa tem o dom de ser Ogã as entidades preparam essas regiões para serem iluminadas e irradiadas pelas forças do astral, incumbido-os da missão de servir a Deus e aos divinos Orixás.

A partir do momento que o Ogã começa a exercer seu trabalho como se deve – falaremos sobre isso em um próximo post – ele começa a evoluir sua mediunidade. A prova disso são os Ogãs que se destacam na facilidade em que têm em aprender e interagir com o terreiro. Sua intuição também pode florescer levando-o a decifrar novos pontos cantados transmitidos pelo guia.

Dentre esses tipos de mediunidade não se exclui a possibilidade de incorporação. Mesmo não sendo algo que aconteça com frequência, alguns Ogãs podem sentir a irradiação Divina e nesse caso pedir licença a Curimba para se juntar a gira com os outros membros.

Não é difícil encontrar dirigentes que já foram Ogãs. Portanto a incorporação na pessoa que possui esse cargo no terreiro pode estar associada a uma nova missão que o plano espiritual tem para este. Sandro Mattos (autor de “O livro básico dos Ogãs”)  também destaca “É bom saber que não é quantidade de dons que a pessoa possui que a fará melhor ou pior do que as outras.”

Todos esses apontamentos podem variar de casa para casa, mas para via de entendimento é necessário que se entenda que essas situações tem a chance de acontecer dentro de um terreiro de Umbanda. No Candomblé por exemplo isso já não acontece. De nenhuma forma o Ogã e Ekédi incorporam ou “bolam no santo” nessa cultura.

O curso de Curimba e Canto ministrado pelo Ogã Severino Sena contempla o papel deste cargo na religião, fazendo a junção entre as aulas práticas (ensina a tocar atabaque) e o suporte teórico. Clique aqui e saiba mais sobre o curso que começa amanhã (19/01).

Para explicar um pouco sobre esse assunto tão questionado, usamos como fonte de pesquisa a obra O livro Básico dos Ogãs, de Sandro da Costa Mattos.

Adquira a obra pelo www.terramystica.com.br

Texto: Júlia Pereira

Imagem: Arquivo ICA 

Umbanda EAD há 10 anos encurtando distâncias e unindo saberes. Conheça nossos cursos e faça parte dessa egrégora www.umbandaead.com.br

2 Comentários

  1. Eder disse:

    Obrigado gostaria de saber se em outras religiões como gejo ogum também incorpora ou só na umbanda ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Ei!🖐🏽
Continue em contato  
Receba com exclusividade infos sobre Umbanda
Escolha fazer parte do grupo de leitores e descadastre-se quando quiser. Axé!
close-link