7 LINHAS DE UMBANDA SÃO 7 ORIXÁS?

QUANDO SURGE

Em 1933 Leal de Souza lança o livro Espiritismo, a Magia e as Sete Linhas de Umbandaconsiderada a primeira obra a retratar a religião de Umbanda e como o título mesmo sugere já nos primórdios de sua literatura – e também da religião – o conceito de 7 linhas já era objeto de estudo e fundamentação por parte dos que buscavam entende-la.

 

Foi o primeiro a tentar definir, em diversos artigos, o que era a umbanda ou o que viria a ser no futuro esse outro lado que já denominava de “linha branca de umbanda de demanda”

Diamantino Trindade no livro A construção Histórica da Literatura Umbandista

O número 7 também é conhecido desde o momento da anunciação da religião quando o espírito que traz a boa nova se identifica como Caboclo das 7 Encruzilhadas sendo que, até hoje é notável a predominância do número 7 nos nomes usados pelas entidades.

Quem trouxe essa religião? O Senhor das Sete Encruzilhadas. Ele a fundamenta a partir desses sete caminhos que estarão abertos, dessas sete encruzilhadas e a partir daquilo que se convencionou chamar Sete Linhas de Umbanda.

Pai Alexandre Cumino

Em aula o tutor Alexandre Cumino narra que Pai Zélio de Morais quando questionado por Pai Ronaldo Linares sobre o significado das 7 Linhas responde à ele dizendo “Ronaldo, ninguém entendeu ainda muito bem o que são realmente as sete linhas de Umbanda”.

E então ele explica de maneira singela, próprio de sua personalidade, que as Sete Linhas podiam ser comparadas a o que acontece com um prisma quando o mesmo é atingido por um raio de sol “a luz branca entra por uma de suas faces e faz surgir do outro lado um arco-íris, Zélio de Morais disse para Ronaldo Linares que isso são as Sete Linhas de Umbanda”.

Quando Pai Ronaldo traz essa informação à tona ele também nos apresenta a possibilidade de entender que as Sete Linhas não se limitam a sete orixás, a sete cores, sete elementos ou a sete santos e que as Sete Linhas não pode ser considerado algo palpável ou limitado, mas sim que refletem e irradiam a força, axé e irradiação de uma força maior, representada no exemplo pela cor branca que se decompõe derivando as outras sete cores que irradiam concomitantemente.

Sete Linhas de Umbanda são as sete vibrações de Deus e isso historicamente a gente só vai entender recentemente, com a obra de Rubens Saraceni que fundamentou muito bem essa ideia e que expôs que nelas cabem todos Orixás

Pai Alexandre Cumino

 

Assista também: O Setenário Sagrado

 

EXISTE 7 LINHAS CORRETAS?

Desde a fundação da Umbanda vários autores se propuseram a decifrar qual seriam as 7 linhas corretas ou quais delas representariam o conceito que valeria para todos, dentre eles Leal de Souza que afirmou que as Sete Linhas simbolizavam Oxalá, Ogum, Oxóssi, Xangô, Iansã, Yemanjá e a Linha de Santo ou das Almas.

No Primeiro Congresso de Umbanda ocorrido de 19 a 26 de Outubro de 1941 abriu-se espaço para apresentação de estudos sobre a Umbanda  e suas ramificações que haviam sido desenvolvidos na época e na ocasião um dos temas mais falados foi a resolução do que seriam as Sete Linhas.

captura-de-tela-2017-01-12-as-2-35-11-pm
25/10/1941: O PROFESSOR LOURENÇO BRAGA, LENDO UM EXTRATO DO SEU LIVRO “UMBANDA E QUIMBANDA”

Enfim muitas foram as considerações disseminadas, mas somente em 1997 data de publicação do livro “As Sete Linhas de Umbanda” obra mediúnica psicografada por Pai Rubens Saraceni e inspirada nos espíritos Li-Mahi-Am-Seri-Yê e Pai Benedito de Aruanda que passamos a entender as 7 Linhas como algo comum à todos e que como sugere a explanação de Zélio não está limitada à um conceito, mas que é universal como só Deus é capaz de ser.

Pai Rubens então, apresenta a ideia de que as Sete Linhas são as Sete essências básicas que emanam do Criador e que se derramam para todas as esferas e dimensões da vida.

Alexandre Cumino irá simplificar a maneira de conceber esses conceitos no curso Teologia de Umbanda dizendo que Deus é único e que se manifesta em sete vibrações e em cada uma delas há no mínimo um trono que se manifesta por meio de duas divindades que para nós são entendidas como os orixás.

Desta maneira existe um trono da fé que se manifesta por meio: da divindade masculina da fé e feminina da fé (Oxalá e Logunam) e assim sucessivamente com todas as linhas. Veja abaixo:

Enfim, em linhas gerais as Sete Linhas de Umbanda são como descrito no quadro acima os Sete Sentidos de nossas vidas, são também as características de Deus que cada um de nós e que toda forma de vida possui e obedece.

O aprofundamento nesse assunto e seus desdobramentos tal como o entendimento sobre Deus, Divindades, Tronos, criação do mundo, origem de todos os seres, planos da vida, surgimento do nosso planeta, como os Sete Sentidos da Vida nos influenciam e como à partir disso os orixás se fazem presentes em nós desde nossa primeira encarnação você entende no NOVO curso de TEOLOGIA DE UMBANDA 2017. 

Texto: Júlia Pereira

Links úteis: 

eBook grátis – 7 Dias com os Orixás

BLOG_LOGO_00000

Cursos com inscrições abertas pelo
http://www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777
obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto
Pedimos para que os irmãos que desejem compartillhar os textos desse blog creditem a fonte lincando para o nosso endereço

3 comentários em “7 LINHAS DE UMBANDA SÃO 7 ORIXÁS?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s