Vela pra que te quero? entenda o sentido das velas na Umbanda

Assim como para cada vela se estende uma intenção, cada cultura se encarrega de agregar a ela um significado

História

Quando o homem ainda habitava as cavernas nasce o primeiro resquício do que viria se tornar a vela. Nas pinturas deixadas por essas populações foram encontrados desenhos que assemelhavam-se a recipientes que mantinham fogo aceso.

Dentro desses recipientes eram depositados gordura animal – em forma líquida – e fibras vegetais como se fosse um pavio que se encarregava de manter a “vela” queimando.

Depois de sua descoberta foram se aprimorando os métodos, e então começaram a ser confeccionadas velas desde as com sebo de animais (cheiro não muito agradável) até as produzidas com cera de abelhas (aromáticas).

O fato do calor remeter a vida e o frio a morte pode ter sido um dos motivos pelos quais as pessoas começaram a associar a vela ao poder de abençoar e afastar males de suas casas e vida.

Velas na Umbanda

Reforçar, repetir e concretizar pedidos, bênçãos e agradecimentos ao astral. A simplicidade da parafina transpassada por um pedaço de barbante ganha um significado memorioso quando unida aos pensamentos e intenções da prece. Mas como para tudo existe uma face “negativa”, nesta prática também acontece de ter caminhos mal direcionados. Quando a energia da mente da pessoa que pede se une a energia ígnea (fogo) elas trabalham para atender a razão pelo qual a vela foi acesa.

Se o pedido for pelo bem de alguém o bem se tem, se pede-se por propósitos ruins é possível que também se obtenha esse retorno, e pensando nisso compreende-se que no momento em que elas retornam voltam duplicadas pois, retornam com a energia a quem o pedido foi encaminhado.

Portanto é necessário não apenas pedir por boas vibrações, mas também se concentrar no momento do pedido. Sentimentos pesados e distrações podem dificultar que o Axé flua.

Em linhas gerais essa é a forma que a vela atua, a intenção é acionada pela energia mental e reforçada pela energia ígnea chegando até o campo vibratório da entidade para quem se encaminhou o pedido. Veremos mais sobre essa mecânica no quinto tópico.

Ganhei uma vela no terreiro

Vez em sempre observamos algumas pessoas saindo com velas do atendimento, e isso com certeza já pode ter acontecido com você. Mas o que significa? eu devo pedir algo?

Pai Rodrigo Queiroz fala sobre o vínculo que a vela estabelece com a entidade no curso Umbanda para Iniciantes “a partir do momento que você sai com uma vela cruzada e/ou imantada para a sua casa, você está criando um vínculo de fé com aquele espírito mensageiro”.

O sacerdote também salienta que baseado no que você expressou durante a consulta normalmente a entidade vai pedir para que se acenda a vela em casa, justificando isso como a maneira que ela tem de te ajudar.

“Isso é uma forma de reviver a experiência do terreiro, reviver o contato com aquela entidade espiritual e isso reanima o vínculo primeiro que você teve com a entidade e ao reviver tudo isso, desperta ou fortalece o link religioso e o vínculo espiritual que você precisa naquele momento”

Pai Rodrigo Queiroz no curso Umbanda para Iniciantes

Cruzamento 

O termo cruzar ou imantar dita anteriormente refere-se ao ato de rezar uma vela. Quando a entidade reza a vela que vai ser dada para o consulente ela está blindando-a contra influências exteriores, com isso fica impossível o ataque de espíritos obsessores durante o período em que ela estiver acesa.

Como ela me conecta com o Axé da divindade?

Acender vela é um ato mágico-religioso. Quando a chama é acesa e direcionada pela reza, ela estabelece a conexão entre a pessoa e a entidade ou orixá pra quem vai ser realizado o pedido.

Na prática – e mecanicamente – isso ocorre da seguinte forma: a energia mental e emocional evocada sai do seu corpo e encontra a energia da chama da vela, nesse momento ela entra nesse fluxo da chama e se alonga até a tela planetária do guia, orixá, anjo da guarda, enfim a quem você dedicou a queima.

Esse cordão ígneo faz o transporte da intenção, estabelece a conexão, e após tocar a tela planetária retorna ao corpo da pessoa como um bálsamo.

Por isso é tão importante que ao acender uma vela em sua casa ou em qualquer lugar que seja, você esteja com a cabeça firme no seu propósito, que a sua concentração esteja focada no seu objetivo e nunca pensando em compromissos ou coisas exteriores.

Representação das Core da Vela 7 Linhas de Umbanda Sagrada

Orixá: Oxalá (Trono da Fé)

Cor: Branco

Fator: Cristalina (congregador)


Orixá: Oxum (amor)

Cor: Rosa

Fator: Mineral (agregador)

vela_7_linhas
Vela 7 Linhas de Umbanda Sagrada. Adquira pelo terramystica.com.br

Orixá: Oxóssi (Trono do conhecimento)

Cor: Verde

Fator: Vegetal (expansor)


Orixá: Xangô (Trono da justiça)

Cor: Vermelho

Fator: Ígnea (equilibradora)


Orixá: Ogum (Trono da lei)

Cor: Azul escuro

Fator: Eólica (ordenadora)


Orixá: Obaluaiê (Trono da evolução)

Cor: Roxo

Fator: Telúrico (evolutiva)


Orixá: Iemanjá (Trono da geração)

Cor: Azul Claro

Fator: Aquática (geradora)


Texto: Júlia Pereira

Imagem: Thaís Helena Queiroz e Pedro Belluomini

Fonte de Pesquisa:

Curso Umbanda para Iniciantes

BLOG_LOGO_00000

Cursos com inscrições abertas pelo
http://www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777
obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s