No terreiro me pedem pra “bater cabeça” o que isso significa?

É mágico?

O altar é o local do templo onde se encontra a maior concentração energética pura vinda dos assentamentos e das irradiações fluídicas dos orixás. No momento em que o consulente se prostra diante do congá posicionando o seu Ori na horizontal ele está não apenas exercendo um ato ritualístico, mas abrindo o chakra coronário, para a entrada dessas irradiações puras.

O ato de “bater cabeça” é a oportunidade que médium, ogã, cabone, sacerdote, enfim.. todo o terreiro tem de estabelecer a conexão com os guias e divindades antes mesmo de tomar o passe ou incorporar.

Pai Rodrigo expõe no curso Umbanda para Iniciantes que “há pessoas que ao bater cabeça no congá sentem uma tontura” e que essas sensações são perfeitamente normais e acontecem pelo nível de sensibilidade que cada pessoa tem.

Por fim, a absorção das irradiações energéticas promovem o bem-estar, resultado do efeito balsâmico propiciado pelo ato.

É submissão?

bc_004

O ritual que se faz presente em diversas culturas como o budismo, o islamismo e até mesmo o catolicismo sinaliza o ato de reverência e respeito diante do culto,  da religião, dos ensinamentos e de tudo o que congrega com aquela crença e tradição.

Você em humildade está entregando o que há de mais sagrado em você: o seu Ori – oferecendo pra Deus, para os Orixás, para os Guias de Umbanda. É uma entrega, isso chama-se “bater cabeça”

Pai Alexandre Cumino

Bater cabeça então é o ato de submissão no sentido de que você está submetendo seu trabalho, está reconhecendo a hierarquia do terreiro e está disposto a obedecer as doutrinas daquele templo.

Mas e eu que sou visitante, também preciso bater cabeça?

Pai Rodrigo Queiroz explica sobre essa questão no curso supracitado, “é de bom tom que você também preste reverência, respeito e silêncio aquela força divina, independente se isso é ou não a sua fé ou a fé do consulente”.

Com essa afirmação ele também conclui que quem está dentro do terreiro no momento da gira é umbandista e cabe à ele, entrar no processo ritualístico da casa.”Conheça como é ser umbandista sendo – nesse momento – umbandista” esclarece.

Texto: Júlia Pereira

Imagem: Pedro Belluomini

Fontes de Pesquisa: Curso Umbanda para Iniciantes, plataforma Umbanda EAD

BLOG_LOGO_00000

Cursos com inscrições abertas pelo
http://www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777
obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s