Ô.. COSME E DAMIÃO, DAAAMIÃO CADÊ DOUN?

Quem são?

Pai Rodrigo Queiroz inicia a explicação sobre a Linha das Crianças no curso Entidades de Umbanda (inscrições abertas, ein galere!) dizendo que “não existe uma escola de Erê no Astral”, e isso explica o por quê deles não incorporarem nos terreiros com a convicção de promover a cura nos consulentes, a cura acontece em determinados casos, mas de forma natural (falaremos sobre isso adiante!).

Por serem seres de outro plano e nunca terem encarnado, (saiba mais em: De onde vêm os ERÊS? são crianças ou seres de outros planos?) não têm a compreensão dos dilemas humanos, e também por isso não respondem a grandes questionamentos das pessoas que passam pelo atendimento. Como resposta normalmente trazem à brincadeira, oferecem doces e contam histórias.

Mas não duvide da força de um Erê! Como seres encantados, vivem em um plano anterior ao nosso, em dimensões em que os orixás intermediários regem. As mães e os pais orixás são visíveis aos erês, eles têm contato direto com as divindades!

Por esse motivo, o magnetismo que transpiram é a energia pura de cada reino e quando nós absorvemos a tudo isso percebemos uma forte mudança em nossa realidade emocional, psicológica e energética.

“Eles não vem pensando em como vão nos curar, lembre-se são seres infantis, mas na vontade e na forma descontraída de interagir transmitem a nós a forma mais pura do magnetismo dos orixás”

Pai Rodrigo Queiroz no curso Entidades da Umbanda

Cada encantado vem de um reino, por isso manifestam o elemento ao qual esse reino se constitui. Por exemplo um Erê do fogo, manifesta em si a maneira mais densa e pura desse mistério e também por isso ele traz características marcantes desse elementos em sua incorporação.

No Erê do Fogo temos um ser mais inquieto, peralta e facilmente irritável, vocês lembram da personalidade do Zangado da Branca de Neve? Erê do Fogo beira à esse aspecto, já o Erê da Terra é mais quieto e sisudo, assim como o do Ar demonstra fortemente alegria, movimento e expansividade em seu modo de ser. Enfim, cada elemento e reino ao qual um erê pertence confere à ele uma particularidade que é notável no momento da incorporação. Lembrando que quanto mais permissivo for o médium mais fácil será de se identificar essas características e por conseguinte mais profundamente esse magnetismo vai atuar.

Erês e Crianças no Terreiro

A Linha das Crianças é sustentada pelo Orixá Oxumaré, cada reino irá ser regido por um orixá intermediário, porém o mistério em si é sustentado por Oxumaré, pois nele encontramos a alegria divina, atributo que por excelência pertence as crianças. A manifestação dessa linha de trabalho está voltada para o atendimento, cura e interação com as crianças (encarnadas mesmo!) do terreiro, é como se eles tivessem uma “vocação” para se relacionar com esse segmento.

Erê é um ser puro e pureza é sinônimo de identidade infantil. Erê não conhece sentimentos ruins, não tem inveja, não guarda rancor, nem mágoa, eles não entendem isso porque o aspecto negativo do ser só vai acontecer no plano natural que é o que sucede o deles e o qual nós vivemos.

Nesse plano físico nós vamos nos deparar com o nosso lado negativo e com nossos sentimentos ruins, vivemos em contato com energias complexas, uma mistura de diversas vibrações e sentimos os 7 sentidos da vida, o erê só tem contato com um desses sentidos se é do reino aquático então só vai manifestar e sentir essa essência.

Fui no terreiro e o Erê me contou que foi criança na vida passada..

Pai Rodrigo Queiroz fala sobre essa questão em Entidades da Umbanda, “isso foi uma ideia que se colocou dentro da religião [..] era impossível aos nossos antecessores imaginar uma dimensão paralela em que mediunicamente nós poderíamos interagir com isso”.

Ele continua explicando que quando nós criamos uma ideia forte sobre algo, eles (erês) não vão confrontar, porque se é nisso que queremos acreditar, tudo bem. Quem precisa parar e fazer a reflexão somos nós que nos relacionamos com isso, e sendo assim, apurar em que pretendemos acreditar. Enfim, ele explica também sobre uma exceção que é a de um erê encarnar e morrer ainda criança, mas esse assunto vamos deixar pra quem pretende iniciar os estudos no curso Entidades da Umbanda.

Sincretismo

Cosme e Damião, venerados dentro do catolicismo têm a história (mesmo que contada de diversas formas) fincada no que é praxe dos santos católicos, à busca pela conversão dos fiéis ao cristianismo e em seguida a morte como mártir. A relação dos santos com a Linha das Crianças está no valor simbólico que eles carregam, pois ambos eram médicos que cuidavam de crianças carentes e também porque ao longo dos tempos perpetuou-se a ideia de que eles carregavam uma aura pura, de simplicidade e ingenuidade. O sincretismo é tão forte que hoje, 27 de Setembro, dia de São Cosme e Damião a maioria dos terreiros de Umbanda dedica seus trabalhos a Linha das Crianças.

E Doun? É o irmão mais novo de Cosme e Damião?

A imagem que ilustra o texto é uma manifestação popular da Umbanda, na igreja católica nós não a encontramos, pois Doun não é cultuado nessa vertente. Pai Alexandre Cumino fala sobre essa questão no curso Orixás na Umbanda, “há muitas lendas sobre da onde veio Doun, mas independente das lendas há de se saber que na cultura Nagô Iorubá os gêmeos Ibeji têm um irmão chamado Doun”.

Ele continua explicando que Cosme e Damião – como sabemos – não são crianças, mas que, como eram associados as linhas das crianças nos terreiros então “não se sabe por quais caminhos na Umbanda surgiu Doun que é o irmão (criança) de Cosme e Damião.”

Independente da representação, o que importa realmente é o que sentimos quando nos relacionamos com essa energia. “Ibeji não está nas 7 Linhas de Umbanda porque ele está em todas as linhas, existem seres encantados de todos os orixás” encerra Cumino.

Salve São Cosme e Damião! Salve Doun!
Salve Ibejada! Salve as nossas Crianças!

Texto: Júlia Pereira

Imagem: Pedro Belluomini

BLOG_LOGO_00000

Cursos com inscrições abertas pelo
http://www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777
obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto

 

8 comentários em “Ô.. COSME E DAMIÃO, DAAAMIÃO CADÊ DOUN?

  1. Não entendi. Ele manifesta em todas energias de orixas?, mas no próprio texto dizem que é oxumare?
    Outra coisa, a umbanda não é yoruba. Veio dos bantus, uma cultura que foi quase destruída pelos yorubas. Entendi é nada

    Curtir

    1. Fabiana, para exemplificar a primeira questão entenda: quando dizemos que a linha dos caboclos são regidas por Oxóssi, queremos dizer que eles estão no mistério Oxóssi, mas existem caboclos de todos os orixás, assim como acontece com a linha das crianças, e como foi dito no texto. Para entender mais sobre essa perspectiva do assunto indicamos o curso Teologia de Umbanda que iniciará uma turma em Janeiro de 2017. Já sobre a segunda questão indico o curso História da Umbanda que terá início em Novembro.

      Curtir

  2. O que aprendi sobre Doun,é que Cosme e Damiao tinham um irmão(eram tri-gêmeos) que veio a falecer em detrimento de uma doença desconhecida qdo criança.
    E que em nome desse irmao, eles se tornariam médicos e ajudariam as crianças que nao pudessem pagar,assim sendo auxiliado pelo espirito desse irmao que passou a se apresentar como Doun,sempre davam balas para as crianças ao final das consultas.Axé

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s