Umbanda e Candomblé: temos semelhanças, mas não somos iguais!

Para entendermos as diferenças e semelhanças dessas duas vertentes religiosas, vamos fazer um breve comentário sobre o contexto histórico do Candomblé.

Na África antes e durante o processo de escravidão existia (hoje em pequenas proporções) o culto aos Orixás. No continente ele se desenvolvia como um culto familiar e tinha relação com as regiões, era como se cada lugar pertencesse a um Orixá.

Essa tradição foi trazida para o Brasil pelos africanos e aqui tomou pra si outro formato que culminou no que nós conhecemos hoje como Candomblé. É por esse motivo que o Candomblé se classifica como uma religião afro-brasileira, nasce em solo brasileiro mas, possui matriz africana.

Ekedi e Prof. Dra. Patrícia Globo explica no curso da plataforma Umbanda EADCandomblé – Religião Cultura e Tradição, que o Candomblé é fruto de uma condição histórica específica, conhecida como escravidão e se consolidou no Brasil, assim como a Santeria em Cuba e o Vodoo no Haiti.

Nesta explicação simplificada de como a religião se estabeleceu no país, já começamos a entender sobre suas diferenciações, tais como sua base de fundamentação. Veja abaixo algumas DIFERENÇAS entre CandombléUmbanda:

  • Candomblé é um culto afro-brasileiro, Umbanda é uma religião genuinamente brasileira (agrega influências dos cultos africanos, porém incorpora outras crenças também).
  • Mesmo sendo duas religiões que mantém o culto aos Orixás, cada uma trata de uma forma diferente esse culto.
  • Umbanda reconhece nas entidades de trabalho, ou seja,  espíritos de pessoas que desencarnaram mas que voltam à terra por meio da incorporação do médium a prática da caridade.
  • No Candomblé o atendimento das pessoas é feito através da consulta nos búzios, já na Umbanda o passe – benção – e a conversa com os médiuns incorporados na gira é a maneira mais comum de se relacionar com a espiritualidade.
  • Na Umbanda existe uma dinâmica por meio da conexão com os espíritos humanos desencarnados – que como dito anteriormente quando incorporados aplicam os passes – em que eles trabalham também em prol da quebra de demandas, desobsessão, corte de magia negra dentre outros feitos. Já no Candomblé (mais ortodoxo) espírito humano (Egun) não pode se manifestar e a atividade acontece no Ori (cabeça da pessoa). O transe espiritual com seu Orixá pessoal é um tipo de manifestação que acontece de dentro para fora, e sendo assim, de uma maneira geral os candomblecistas não praticam a incorporação, ou seja, a mediunidade não é um precedente.
  • Cada uma dessas religiões possui suas fundamentações, ritos e estrutura religiosa específica. Poderíamos citar muitas outras diferenças, mas seria conversa pra mais de mês..

Ver também: Estudo, Pesquisa e Vida Religiosa. Saiba mais sobre a Prof e Ekedi Patricia Globo

 

As semelhanças mais evidentes (lembrando que tudo depende da vertente em que se segue) entre essas duas confissões de fé está no culto aos Orixás e o uso de atabaques na liturgia. Entretanto, mesmo existindo essas duas particularidades, a Umbanda vai interagir de uma forma diferente do culto no Candomblé.

Enfim, como dito tanto Umbanda quanto o Candomblé são religiões que agregam muito da cultura e da pluralidade do povo brasileiro em seus fundamentos, posto isso, ressaltamos que vale a pena conhecer e se aprofundar mais sobre essas manifestações que contam parte da nossa história. O curso de Candomblé – Religião, Cultura e Tradição traz essa temática para discussão. Clique aqui assista a uma aula gratuita e conheça o ensino do Umbanda EAD.

Texto: Júlia Pereira

Imagem: Carybé

BLOG_LOGO_00000
 Cursos com inscrições abertas pelo
www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777

obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto

3 comentários em “Umbanda e Candomblé: temos semelhanças, mas não somos iguais!

    1. Irmão, com isso queremos dizer que a mediunidade (como é certo) remete a comunicação entre espíritos humanos desencarnados e encarnados, o que no Candomblé mais ortodoxo (como dito) pode ser considerado um Egun. Enfim, o candomblecista (não é uma regra) dispensa a mediunidade e recorre ao transe espiritual com os orixás.

      Curtir

  1. O esclarecimento esta de acordo com o entendimento que me foi ensinado dentro da Umbanda. Parabéns aos mediadores pelo belo texto,explicado com palavras simples e de fácil entendimento por parte de pessoas leigas que buscam entender e conhecer sobre as nossas religiões e pouco da nossa cultura religiosa!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s