Nesta quinta tem lançamento de livro Umbandista na Bienal Internacional do Livro

Já começamos o mês com representatividade Umbandista!!

Quinta-feira (01/09) às 19 hrs, no Pavilhão de Exposições do Anhembi (estande L031) acontece a noite de autógrafos de Alexandre Cumino. Na ocasião o sacerdote irá lançar sua mais nova obra “Orixás na Umbanda – Um Deus, Sete Linhas e Muitos Orixás“. Assunto que também é tema do curso Orixás na Umbanda ministrado e desenvolvido por ele aqui na plataforma Umbanda EAD.

A 24ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo teve início no dia 26 de Agosto (sexta-feira) e encerra neste domingo (04 de Setembro) suas atividades.

Segundo o site do evento cerca de 480 marcas apresentaram seus mais importantes lançamentos para aproximadamente 700 mil visitantes em um espaço total de 60 mil m².

Endereço: 

Pavilhão de Exposições do Anhembi

Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana

CEP 02012-021 São Paulo – SP

Horário de Visitação:

Segunda à sexta-feira, das 9h às 22h (com entrada até as 21h)

Sábados e domingos, das 10h às 22h (com entrada até as 21h)

Dia 4 de Setembro, das 10h às 21h (com entrada até às 19h)

Release da obra e autor
ORIXÁS NA UMBANDA

Neste livro você vai entender de uma vez por todas o que são e quem são os Orixás na religião Umbanda.

Este livro é simples, fácil de ler e muito didático o que o torna acessível a todas as pessoas que querem este conhecimento.

Os Orixás são Divindades de Deus, são manifestações divinas, isso quer dizer que são individualizações do próprio Criador em suas qualidades e sentidos. A presença das Divindades é a presença de Deus em nossas vidas.

Se entender que Deus é Pai e Mãe, então entenderemos que suas divindades, Orixás, são Pais e Mães manifestando a unidade e a diversidade divina em nossas vidas.

Deus Pai é em si todas as divindades masculinas ao mesmo tempo, no entanto cada uma delas pode se manifestar de forma única como Pai Oxalá, Pai Ogum ou Pai Oxossi por exemplo.

Deus Mãe (A Deusa) é em si todas as divindades femininas ao mesmo tempo, no entanto cada uma delas pode se manifestar de forma única como Mãe Iemanjá, Mã Oxum ou Mãe Iansã por exemplo.

Orixás não são espíritos humanos, não tiveram e não vão ter esta experiência. Espíritos foram “criados” por Deus, Divindades são parte de Deus e esta é a grande diferença. Ainda que a Umbanda tenha absorvido muitos valores do Espiritismo neste ponto se difere da doutrina de Allan Kardec, que considera todas as formas de vida e consciência como seres que tiveram ou vão ter uma experiência como espíritos. Kardec chega a afirmar que mesmo os Anjos já foram espíritos como nós e que se assim não fosse a criação não seria perfeita em sua evolução bem como não haveria justiça em Deus ao criar um ser imperfeito e outro perfeito. Mas Kardec não tinha o contato com esta realidade e nem a consciência de que as Divindades estão em Deus, não foram “criadas” por Deus, simplesmente Elas são a manifestação e a presença de Deus e assim como Deus não tem início ou fim Elas também não. Diferente de nós que fomos criados por Deus e estamos em uma jornada evolutiva de retorno à Deus.

Sim fomos criados por Deus à sua imagem e semelhança é isto quer dizer que temos as qualidades de Deus em nós para serem despertas e desenvolvidas. Voltar a Deus não é voltar para um lugar físico ou geográfico, voltar para Deus é um “lugar” na sua consciência. Quando sentir que é UM com DEUS, então será UM com todas as coisas, será UM com a BANDA, aí é só aí seu retorno à Deus será concluído. Quando Jesus afirma “Eu e o Pai somos UM” é disto que Ele está falando, no entanto todos podemos ser UM com DEUS e UM com sua BANDA ao mesmo tempo. Isto quer dizer que TUDO é UM. Nas Divindades e mesmo nos Anjos não existe esta separação. As Divindades porque nunca se separaram e ais anjos porque alguns (Arcanjos, Tronos, Serafins, Querubins, Dominações, Virtudes e Potestades) nunca se separaram e outros que foram separados ou criados, como nós, já retornaram.

Assim como a visão da Umbanda a cerca de espíritos e divindades se difere da visão do Espiritismo, da mesma forma se difere do Candomblé e Cultos de Nações Africanas. Os Orixás tem uma origem cultural africana Nagô Yorubá, no entanto para a Umbanda o que importa é a Divindade em si e suas qualidades divinas. Para o Candomblé importa a ancestralidade, herança cultural e religiosa. Por se tratarem de duas religiões diferentes, Umbanda e Candomblé, sua interpretação é relação com os Orixás será sempre diferente. Para o umbandista é importante conceber um olhar umbandista para os Orixás.

Embora exista um sincretismo entre Santos Católicos e Orixás, a abordagem umbandista para os Santos se difere da Igreja Católica assim como não se deve confundir Santos e Orixás, que não é a mesma coisa. A Umbanda foi fundada ou criada por Zelio de Moraes e o Caboclo das Sete Encruzilhadas em 1908, numa época pós escravidão por um homem de pele clara. Isso quer dizer que o sincretismo foi espontâneo para a Umbanda, diferente do escravo que usava o santo para ocultar o culto ao Orixá. No entanto se reconhece que foi Pai Antônio, Pretovelho de Zelio de Moraes, quem trouxe a presença dos Orixás para a Umbanda

Alexandre Cumino

Alexandre Cumino é cientista da Religião, bacharelado pela UNICLAR, diretor da AUEESP (Associação Umbandista e Espiritualista do Estado de São Paulo), médium de Umbanda atuante, sacerdote de Umbanda Sagrada, responsável pelo Colégio de Umbanda Sagrada Pena Branca (www.colegiopenabranca.com.br) onde ministra de forma presencial o curso de “Desenvolvimento Mediúnico – Incorporação na Umbanda”, “Preparação Sacerdotal na Umbanda Sagrada”, “Magia de Pemba” e “Magia Divina”. O Colégio Pena Branca também é sede de trabalhos e sessões de Umbanda dirigidas por Alexandre Cumino e um grupo de médiuns preparados por ele mesmo para atender, trabalhar e experienciar (viver) a Umbanda.

Ministra os seguintes cursos virtuais (EAD) na plataforma umbandaead.com.br >>

“Teologia de Umbanda Sagrada”

“História da Umbanda”

“Exu – O Guardião da Luz”

“Pombagira e Exu-mirim”

“Orixás na Umbanda”

É autor dos livros “História da Umbanda”, “Deus, Deuses, Divindades e Anjos”, “Umbanda Não é Macumba”, “A Umbanda e o Umbandista”, “Fragmentos de Umbanda”, “O Sacerdote de Umbanda”, “Médium – Incorporação Não é Possessão” e “Umbanda e o Sentido da Vida”, todos pela Madras Editora.  Como adquirir >> terramystica.com.br

Alexandre Cumino é editor do Jornal de Umbanda Sagrada, fundado em 1999 por seu parceiro Rodrigo Queiroz.

Cumino nasceu em um lar espírita e, em 1995, conheceu e se encantou pela Umbanda, na qual se desenvolveu mediunicamente e da qual nunca mais se afastou mais. Nessa época, 1995, logo após dar início ao seu desenvolvimento mediúnico com um pequeno e dedicado grupo de médiuns, conheceu Rubens Saraceni, seu Mestre, que o preparou para a sua missão de sacerdote e ministrante de Umbanda Sagrada e Magia Divina. Ao longo dos anos Rubens Saraceni se tornou muito mais que seu Mestre e sim seu amigo, irmão e parceiro. Alexandre Cumino fazia com Rubens Saraceni o programa de rádio “Magia da Vida” na Radio Mundial FM, prefaciou alguns dos mais de 50 títulos publicados por Rubens Saraceni, lhe acompanhou na TV Espiritualista e assumiu junto dele esta missão com a Umbanda Sagrada.

BLOG_LOGO_00000
Cursos com inscrições abertas pelo
www.umbandaead.com.br
e-mail:
contato@umbandaead.com.br
blog@umbandaead.com.br
Tel (14) 3010-7777

obs: os links desse texto estão sujeitos a alteração em razão da disponibilidade do curso e/ou produto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s