O disque 100 agora também recebe denúncia de racismo!

Desde essa última quarta-feira (16/12) o serviço de denúncias a crimes que atentem contra os direitos humanos, o disque 100,  passa a atender casos de racismo. 

A novidade foi lançada na abertura da Conferência Nacional da Juventude, que se iniciou ontem e tem seu encerramento neste sábado, no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. O evento acontece com o intuito de promover a discussão e o debate sobre o que a juventude brasileira espera do país, propondo assim políticas públicas que irão auxiliar na elaboração do Plano Nacional da Juventude.

Os dois novos módulos do serviço de denúncia da Presidência da República irá atender violações contra a juventude negra, mulher ou população negra em geral e violações contra comunidades quilombolas, de terreiros, ciganas e religiões de matriz africana.

Como já colocado pelo Umbanda EAD em outras matérias, a Secretaria de Direitos Humanos (SDH) recebe por meio do disque 100, 1 denúncia a cada 3 dias, de crimes do gênero, intolerância religiosa. Destas os fiéis de religiões de matriz africana são as principais vítimas.

O serviço que antes era dividido em 6 módulos, sendos esses: pessoas idosa, LGBT, pessoa com deficiência, criança e adolescente, pessoas em situação de rua e pessoas em restrição de liberdade, engrandece em abrir mais dois módulos que atentam para o amparo à crimes de discriminação racial e também religiosa.

Como denunciar via Disque 100?

Realizar a ligação apenas discando o número 100 de qualquer tipo telefone, sendo ele móvel ou fixo, e a qualquer hora e dia da semana. Abaixo as informações necessárias para a efetivação da denúncia, segundo a SDH.

1. Quem sofre a violência? (Vítima)

2. Qual tipo violência? (Violência física, psicológica, maus tratos, abandono etc.)

3. Quem pratica a violência? (Suspeito)

4. Como chegar ou localizar a Vítima/Suspeito

5. Endereço (Estado, Município, Zona, Rua, Quadra, Bairro, Número da casa e ao menos um ponto de Referência, concreto e que define um lugar específico)

6. Há quanto tempo? (frequência)

7. Qual o horário?

8. Em qual local?

9. Como a violência é praticada?

10. Qual a situação atual da vítima?

11. Algum órgão foi acionado?

Texto: Júlia Pereira 

Imagem: Divulgação/Facebook

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s